INFORMATIVO, A câmara municipal de Palma Sola SC é uma das câmaras, que menos gasta com diárias e passagens do Brasil. Rafael Battisti

INFORMATIVO, A câmara municipal de Palma Sola SC é uma das câmaras, que menos gasta com diárias e passagens do Brasil.

Câmaras municipais da região registram gastos exorbitantes com diárias e passagens.

 

A exceção é a Câmara de Vereadores de Palma Sola é que tem os gastos mais baixos do país.


A câmara municipal de Palma Sola SC é uma das câmaras, que menos gasta com diárias e passagens do Brasil.

Em 2017 o legislativo recebeu de repasse R$ 592.160,22, devolveu aos cofres públicos R$ 70 mil e gastou R$ 10.379,20 de diárias e R$ 1.853,66 com passagens, perfazendo um total de R$ 12.232,82, o que da R$ 1,57 por habitante do município.

Na contra mão de Palma Sola, estão outros municípios da região, pesquisados pelo portal:

Santa Terezinha do Progresso recebeu em 2017, do município R$ 729.930,06 e gastos com diárias R$ 93.700,00 e não consta nenhuma despesa com passagens, enquanto até maio de 2018 o gasto chegou a R$ 35.400,00. A media per capita em 2017 foi de R$ 33,46.

São Bernardino que teve em 2017 repasses na ordem de R$ 648.751,39, gastou R$ 77.891,92 de diárias e R$ 12.054,10 com passagens total de R$ 89,946,02, o que da um gasto de R$ 36,36 por habitante. Até maio de 2018 os gastos estão na ordem de R$ 66.7474,00, corresponde a um grande aumento com relação a 2017, tendo em vista a passagens e diárias para vereadores e funcionários públicos do legislativo, que foram em curso na cidade Vitoria ES.

Anchieta recebeu do executivo a quantia de R$ 719.626,49 e os gastos com diárias foi de R$ 57.673,38 e com passagens R$ 24.635,28, total de R$ 82.308,66 um custo médio de R$ 16,46 por habitante.

Já até maio de 2018 os custos com essas despesas somam R$ 60.100,41.

Campo Erê o legislativo recebeu em 2017, 814.734,05 e gastou com passagens 7.688,75 e diárias R$ 43.810,00 – total de R$ 51.498,75, R$ 5,79 por habitante, enquanto que até maio os gastos foram de R$ 22.930,00.

São Lourenço do Oeste recebeu da prefeitura R$ 1.504.039,28 e os gastos com passagens e diárias foram de 130.061,85, o que da R$ 4,34 por habitante, enquanto 2018 os gastos superam R$ 46 mil.

Em Novo Horizonte, o repasse em 2017 foi de R$ 685,066,79 e os gastos com passagens foi de R$ 82.862,50 e com passagens 31,228,79 totalizando R$ 114.091,29 o que da R$ 42,26 por habitante.

Ate o momento em 2018 fora gastos em diárias e passagens 41.186,88.

A câmara de vereadores de Saltinho recebeu em 2017, R$ 800.826,97, mas apesar de todas as pesquisas e contato com a assessoria, não foi possível verificar os gastos com passagens e diárias.

QUESTIONAMENTO.

As câmaras destes municípios citados receberam dos municípios a quantia de R$ 5.680.401,20 em 2017. Esse valor foi usado para pagamento dos salários dos vereadores, funcionários e despesas operacionais.

Sem as despesas de Saltinho, foram gastos com passagens e diárias R$ 613.172,55.

Desse valor, não foi possível saber qual foi o retorno que os municípios tivera, quais foram os projetos que levaram a população ser beneficiada com algum valor repassado através de convenio ou outro.

O que poderiam ser feito com esse valor?

E os R$ 5,8 milhões, se somados com todas as câmaras do pais, quanto isso representa.

Vamos somar também, os deputados estaduais, federais e senadores, com seus gastos, seus assessores, suas mordomias, alcançaremos as cifras de bilhões anuais, e pra que?

2018 é ano de eleição, ai você vê em quem você vota, mas vê também se você vai “cobrar” de seu candidato se eleito suas atitudes.

Mesma situação é com os vereadores, alguém contesta a atitude? Talvez poucos, então é a hora, já que não fomos unidos suficientes para acompanhar os caminhoneiros em suas manifestações, pelo menos vamos votar na renovação e não por R$ 50 ou por 20 litros de gasolina.

Fonte: Campoere.com